Portal de Administração de Conferências - CEFET-MG, 12ª Semana de Ciência e Tecnologia do CEFET-MG

Tamanho da fonte: 
DEGRADAÇÃO DE GEOTÊXTEIS TECIDOS DE POLIPROPILENO POR OXIDAÇÃO
Mag Geisielly Alves Guimarães, Denise de Carvalho Urashima, Caroline Albuquerque Macedo

Última alteração: 2016-08-30

Resumo


A crescente demanda em aplicações geotécnicas e ambientais como solução
para a engenharia tornou o uso de Geossintéticos uma alternativa para
contribuir com as diversas práticas do ramo, atentando-se que para a sua
utilização implica em conhecer também a sua durabilidade. Este trabalho
tem por objetivo estimar a durabilidade de geotêxteis tecidos de
polipropileno por oxidação segundo a norma EN ISO 13438 (2004), utilizando
uma estufa com circulação forçada de ar. A temperatura de ensaio foi de
110ºC e os tempos de exposição foram de 14 e 28 dias (segundo a norma),
bem como um maior tempo de 42 dias. Os ensaios foram realizados em réplicas
e foram aplicadas ferramentas estatísticas para melhor análise dos
resultados, tais como a construção de Intervalos de Confiança (IC), bem
como a Análise de Variância (ANOVA). Ensaios mecânicos de
caracterização e avaliação de perdas de resistência mecânica foram
realizados de acordo com a norma ASTM D 5035 (2011). Os geotêxteis sofreram
perdas de resistência mecânica, uma vez que o polipropileno é sensível a
temperaturas elevadas. Também, a maior degradação do geotêxtil ocorreu
preferencialmente nos primeiros tempos de ensaio, considerando que os tempos
de 14 e 28 dias propostos em norma vem de encontro aos resultados obtidos. A
importância deste estudo foi contribuir para uma melhor estimativa da vida
útil deste material polimérico, contribuindo para as futuras pesquisas
referentes a sua durabilidade.

Palavras-chave


Geossintéticos. Degradação. Geotêxteis. Durabilidade