Portal de Administração de Conferências - CEFET-MG, 12ª Semana de Ciência e Tecnologia do CEFET-MG

Tamanho da fonte: 
AVALIAÇÃO DA COMPOSIÇÃO QUÍMICA DA ALFAVACA-CRAVO (OCIMUM GRATISSIMUM L.) EM RELAÇÃO A FASE DE MATURAÇÃO DAS FOLHAS
Fátima de Cássia Oliveira Gomes, Ana Maria de Resende Machado, Layla Amanda Acácio de Souza, Jéssica Saliba

Última alteração: 2016-08-25

Resumo


A necessidade crescente pela segurança dos alimentos e uma alimentação saudável conduz a busca de novos compostos naturais que substituam os compostos sintéticos. Neste contexto o óleo essencial da alfavaca (Ocimum gratissimum L.) apresenta várias propriedades úteis para conservação de alimentos. A fase de maturação das folhas deve ser observada já que é um fator que influencia no rendimento de seu óleo essencial, bem como o clima e a temperatura. O objetivo do trabalho foi avaliar a interferência da fase de maturação das folhas de alfavaca na abundância do óleo essencial. Os constituintes foram concentrados com uso da técnica de Microextração em Fase Sólida (SPME) e identificados por Cromatografia Gasosa acoplada a Espectrometria de Massas (GC-MS). A análise cromatográfica mostrou a presença do eugenol como sendo o composto majoritário em todas as amostras. Os principais compostos identificados e comuns nas folhas de diferentes tempos de maturação foram: eugenol, óxido de cariofileno, γ-muuroleno, E-beta-ocimeno e germacreno D. A maior abundância de óleo essencial foi encontrada na fase jovem, decrescendo de acordo com avanço da fase de maturação das folhas, mostrando inclusive variações na composição química em cada uma das fases. Desta forma, na ocasião da coleta é importante selecionar folhas na fase de maior concentração dos princípios ativos.

Palavras-chave


Ocimum gratissimum, cromatografia gasosa, compostos voláteis