Portal de Administração de Conferências - CEFET-MG, 14ª Semana de Ciência & Tecnologia 2018 - CEFET-MG

Tamanho da fonte: 
QUANDO A MORTE POSSIBILITA A VIDA: UM PANORAMA DA DOAÇÃO DE ÓRGÃOS, TECIDOS E SANGUE.
Antonio L P Serenini, Gabriela de Moura Camargo, Thais Alves Fagundes, Jeverson Gonçalves, Igor Gregori Silva Carlos

Última alteração: 2018-10-03

Resumo


A doação de órgãos é um assunto de extrema relevância, que necessita do máximo esforços para sua ampliação. A burocracia e os dilemas éticos sociais que envolvem o tema, muitas vezes consistem em um empecilho para expandi-la. Por meio da análise de respostas de um questionário online com 500 participantes pode-se constatar que 93,4% dos entrevistados estão dispostos a efetuarem a doação de órgãos. Contudo, apenas 35,1% realizaram doação de sangue e, ainda mais crítico, somente 0,4% doaram algum órgão ou tecido. Estes dados evidenciam a ineficácia das campanhas informacionais do país, os índices obtidos são reflexos do receio da população pelo desconhecido. Na pesquisa a justificativa majoritária para a não realização da doação consistiu no medo ou receio (37,5%), na falta de oportunidade (27,2%), de conhecimento a respeito do local para efetuá-la (27,6%) e sobre seus efeitos adversos (28,3%). Sob o aspecto da legislação vigente no Brasil, especificamente a lei dos Transplantes 9.434, pôde-se constatar que apenas 2,2% dos entrevistados conhecem seus artigos, seguidos por 12,2% que conhecem superficialmente a lei. Nesse viés, 41,3% tem ciência da existência dessa cláusula, enquanto 44,3% nunca ouviu a respeito. A fim de incentivar a doação, o trabalho contará com o apoio de um website, com o detalhamento do procedimento realizado pelas equipes de transplante no país desde o doador até o receptor, uma área para esclarecer os mais frequentes mitos e dúvidas acerca do tema.

Palavras-chave


Doação orgãos. Transplante. Incentivo a doação.