Portal de Administração de Conferências - CEFET-MG, 14ª Semana de Ciência & Tecnologia 2018 - CEFET-MG

Tamanho da fonte: 
REGENERAÇÃO TÉRMICA DA AREIA DE FUNDIÇÃO DESCARTADA PELO LABORATÓRIO DO CEFET-MG.
Joel Lima, João Bosco dos Santos, Gilberto Caldeira Faria, Paulo César Guimarães Junior, Carolina Vasconcelos Gomide

Última alteração: 2018-09-10

Resumo


O processo de fundição é fundamental para a fabricação de componentes metálicos empregados em máquinas, instalações e equipamentos em praticamente todos os setores da economia. É um processo milenar, dependente de muitos recursos naturais, que se atualizou tecnologicamente, mas convive com alguns desafios para se tornar um processo sustentável. O descarte da areia aglomerada com resinas, utilizada em moldes e machos é o elo fraco deste setor, seja em pequenas ou em grandes empresas multinacionais. No laboratório de fundição do CEFET-MG as mesmas condições industriais são reproduzidas e consequentemente se convive com os mesmos problemas quanto a geração de resíduos. A ideia central do projeto é estudar alternativas em relação a regeneração de areia de fundição para reuso no próprio processo. O objetivo é gerar informações que possam balizar iniciativas para minimizar o descarte de areia de fundição no laboratório. A customização de moldes ao invés de padronizá-los, se mostra uma excelente medida para racionalizar o uso da areia (menor consumo); o projeto e construção de um protótipo de regenerador térmico é a principal ação adotada para mitigar o problema do descarte. Nos primeiros experimentos 75% da areia processada (na forma de torrões) foi desaglomerada, um indicador promissor. Entretanto, análises mais detalhadas e repetições dos procedimentos, são necessárias para avaliar a qualidade da areia regenerada e promover a complementação e aperfeiçoamento do sistema.

Palavras-chave


Areia de fundição. Regeneração térmica.