Portal de Administração de Conferências - CEFET-MG, 15ª Semana de Ciência & Tecnologia 2019 - CEFET-MG

Tamanho da fonte: 
ANÁLISE DA QUALIDADE MINERAL DE BEBIDAS ISOTÔNICAS COMERCIALIZADAS
Fátima de Cássia Oliveira Gomes, Ana Maria de Resende Machado, Flávia Regina Amorim, Letícia Fraga Ferreira, Ana Clara Manini Soutelo

Última alteração: 2019-09-05

Resumo


As bebidas isotônicas são repositoras de eletrólitos e, consequentemente, hidratantes devido a sua composição. Os eletrólitos participam de processos biológicos, sendo que, um dos mais conhecidos é a bomba de sódio e potássio, importante para o equilíbrio osmótico das células. Entretanto, a alta concentração desses minerais pode ser prejudicial a saúde, principalmente entre os portadores de hipertensão arterial. Logo, é de suma importância a quantificação destes eletrólitos e a comparação destes com as informações presentes no rótulo e a legislação vigente. Com a finalidade de quantificar a concentração de sódio e potássio, utilizou-se a técnica de Espectrofotometria de Absorção Atômica. Os resultados indicaram que a maioria das amostras apresentou quantidade de sódio superior, em média 1,21% acima, e de potássio inferior, em média 7,9% abaixo em relação à rotulada, todavia encontram-se dentro da regulamentação da ANVISA, RDC n° 18/2010, que prevê concentração de sódio entre 460 mg/L e 1150 mg/L e de potássio inferior a 700 mg/L. Portanto, conclui-se que apesar dos níveis de eletrólitos apresentarem-se dentro do limite da legislação não estão de acordo com o rótulo, podendo prejudicar os consumidores que possuem restrições referentes a quantidade que podem consumir de sódio e potássio.

Palavras-chave


Controle de qualidade.Bebidas isotônicas.Validação de método.