Portal de Administração de Conferências - CEFET-MG, 15ª Semana de Ciência & Tecnologia 2019 - CEFET-MG

Tamanho da fonte: 
PREPARAÇÃO E CARACTERIZAÇÃO DE ARGILAS ORGANOFÍLICAS COM POTENCIAL PARA REMOÇÃO DE POLUENTES ORGÂNICOS
Fernando Castro de Oliveira, Almir Silva Neto, Maria Carolina Oliveira Paraguay, Tallyta Duarte, Gustavo Damasceno Lima de Andrade, Haniel Soares Serafim Silva

Última alteração: 2019-09-05

Resumo


A montmorilonita, argila do grupo esmectita, é muito utilizada na preparação das argilas organofílicas devido às pequenas dimensões dos seus cristais, a elevada capacidade de troca de cátions, e a capacidade de inchamento em água que fazem com que a intercalação de compostos orgânicos seja rápida e eficiente. A inserção de moléculas orgânicas faz com que ocorram expansões entre os planos d001 da argila, e muda sua natureza hidrofílica para hidrofóbica ou organofílica e com isso proporciona diversas possibilidades de aplicações para as argilas. Este trabalho teve como objetivos: 1) Preparar montmorilonitas organofílicas pela intercalação da ciclodextrina ou do brometo de trimetilcetilamônio (substratos) na montmorilonita sódica (matriz); 2) Avaliar as alterações estruturais (DRX); 3) Investigar as interações intermoleculares estabelecidas entre substratos e matrizes (FTIR-ATR); 4) Avaliar as propriedades térmicas (TG, DTG); 5) Estudar a capacidade das montmorilonitas organofílicas sintetizadas de remover poluentes orgânicos de fluidos aquosos por estudos de adsorção. Os resultados de DRX mostram uma evolução do plano d001 o que evidencia a eficácia do processo da intercalação. Os espectros de FTIR revelam um deslocamento da banda de O–H (3300 para 3400 cm–1), que foi atribuído à formação de ligação de Hidrogênio entre montmorilonita e ciclodextrina. As curvas de análise térmica, para as amostras, demostram uma perda de massa na região de decomposição dos substratos.

Palavras-chave


Montmorilonita. Ciclodextrina. Argila Organofílica.