Portal de Administração de Conferências - CEFET-MG, 15ª Semana de Ciência & Tecnologia 2019 - CEFET-MG

Tamanho da fonte: 
FIBROCIMENTOS COM REFORÇO HÍBRIDO DE FIBRAS VEGETAIS: EM BUSCA DE UMA ALTERNATIVA AO USO DO AMIANTO EM COMPÓSITOS CIMENTÍCIOS
Conrado Souza Rodrigues, Jerônimo Coura Sobrinho, Klever Ribeiro Rosa

Última alteração: 2019-09-12

Resumo


O objetivo do trabalho é analisar os efeitos do uso de reforço vegetal híbrido, obtido pela conjugação entre malha tramada de juta e polpas celulósicas (pinus) dispersas aleatoriamente, no desempenho mecânico de fibrocimentos. A malha de juta recebeu três tipos de pré-tratamento alcalino visando à melhor aderência entre o reforço e a matriz de cimento. As malhas submetidas aos três tratamentos foram empregadas na produção de dois grupos de compósitos: um com e outro sem substituição parcial dos aglomerante (15%) por cinza de casca de arroz. Para cada um dos grupos. Nos fibrocimentos, o reforço híbrido foi composto por uma malha de trama ortogonal (feixes de fibras longas de juta em duas direções perpendiculares) e por microfibras de pinus (8% de seu volume) distribuídas aleatoriamente. Foram produzidas em laboratório placas de fibrocimento com 160x160 mmm2 e com espessura de cerca de 0,8 mm que, submetidas a testes de flexão, viabilizaram a análise dos efeitos dos tratamentos na malha de reforço. Além disso, foram utilizadas as técnicas de Espectroscopia de Infravermelho com Transformada de Fourier (FTIR) e Microscopia Eletrônica de Varredura (MEV) para caracterização da malha. Como resultado, observou-se que (a) os fibrocimentos apresentaram comportamento strain hardening em função do reforço híbrido e da presença de cinza de casca de arroz na matriz, (b) houve melhoria na tenacidade dos fibrocimentos cujas malhas tramadas de juta receberam pré-tratamentos alcalinos.

Palavras-chave


Fibrocimentos sem amianto. Compósitos com fibras vegetais. Materiais de construção. Sustentabilidade. Comportamento mecânico.