Portal de Administração de Conferências - CEFET-MG, 27ª Mostra Específica de Trabalhos e Aplicações

Tamanho da fonte: 
PROFICIÊNCIA EM L2: UM ESTUDO EXPLORATÓRIO SOBRE HÁBITOS QUE SE CORRELACIONAM À MAIOR PROFICIÊNCIA EM LÍNGUA INGLESA.
Cândido Samuel Fonseca de Oliveira, Elizabeth Duane Santos da Costa, Ingrid Stephanie Rodrigues Pereira, Nathalie Alacoque da Silva Barros, Mariana de Castro Pasqualini

Última alteração: 2017-09-05

Resumo


O presente trabalho faz parte do projeto de iniciação científica intitulado “O Uso da Tarefa Labirinto como Ferramenta Pedagógica em Aulas de Inglês como Língua Estrangeira”. Este estudo constitui um pré-teste do projeto supracitado e tem por objetivo aferir o nível de proficiência em língua inglesa dos alunos do Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais Unidade Contagem. Ademais, pretende-se investigar quais hábitos que envolvem o uso desse idioma se correlacionam com níveis mais altos de proficiência. Para alcançar esses objetivos, conduzimos o teste Vocabulary Levels Test (NATION, 1990), que estima o nível de proficiência em inglês como segunda língua a partir de uma tarefa de associação de palavras. O pressuposto subjacente a este modelo de triagem é que o nível de proficiência se associa à competência no acesso a grupos de palavras que se diferem no que tange à frequência. Em outras palavras, quanto maior o acesso a palavras de menor frequência, maior é o nível de proficiência. Além disso, os participantes responderam a um questionário no qual indicaram, através de escala Likert, o quão presente é a língua inglesa em seus hábitos escolares e de lazer.

Palavras-chave


Proficiência em L2. Teste de vocabulário. Hábitos linguísticos.