Portal de Administração de Conferências - CEFET-MG, 27ª Mostra Específica de Trabalhos e Aplicações

Tamanho da fonte: 
TAXA DE ENVELHECIMENTO E RENDA PER CAPITA NA MICRORREGIÃO DE BELO HORIZONTE-MG
Carolina Simões Nunes, Pedro Augusto Pereira Guedes, Paula Vieira Fonseca, Samila Silva Guimarães Santos, Valéria Cristina Palmeira Zago

Última alteração: 2017-08-29

Resumo


O envelhecimento da população no Brasil é uma realidade que está cada vez mais evidente nos últimos anos, modificando assim a estrutura etária da população. O país passou pela transição demográfica e reduziu suas taxas de mortalidade e de dependência. Esta pesquisa teve como objetivo, verificar se há correlação destes indicadores de saúde com a renda per capita, da microrregião de Belo Horizonte-MG. Para isso, foram coletados dados secundários na plataforma Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil, referentes nos anos de 1991, 2000 e 2010.  Foi realizado um estudo de correlação estatística, pelo coeficiente de Pearson. Levando-se em consideração as características distintas das cidades que compõem a microrregião de Belo Horizonte, observou-se que as correlações obtidas entre os indicadores foram fortes, dando destaque à taxa de fecundidade e renda, que apresentou uma correlação negativa de 0,70. Deduz-se que uma maior renda, e consequentemente, maior nível de escolaridade e de informação sobre métodos contraceptivos favoreceu a redução da taxa de fecundidade daquela população. Por sua vez, a taxa de fecundidade alta representou um envelhecimento mais acelerado. Desta forma, é importante reforçar investimentos em políticas públicas voltadas aos idosos, de modo a promover uma qualidade de vida satisfatória.

Palavras-chave


População. Envelhecimento. Indicadores.