Portal de Administração de Conferências - CEFET-MG, 29ª Mostra Específica de Trabalhos e Aplicações

Tamanho da fonte: 
A MICROBIOLOGIA DO TRATAMENTO DE ESGOTO
Flávio José de Assis Barony, Tirza Sperber Rocha, Letícia Oliveira Pinto Lage, Amanda Medeiros Carneiro, Alicia Coura Chagas, Erick Brizon D'Angelo Chaib

Última alteração: 2019-09-02

Resumo


A presente proposta visa aplicar os conhecimentos da Microbiologia para fins de tratamento de Esgoto Doméstico. A partir de uma maquete construída com materiais alternativos, a qual representa a Estação de Tratamento de Esgoto (ETE), com a configuração do sistema similar ao tratamento que iniciará a operação em meados do 2° semestre de 2019, a qual abrange o esgoto das cidades de Timóteo e Coronel Fabriciano. No reator da ETE, a presença de microrganismos assegura a remoção de uma fração de contaminantes, mas, para tal, o controle da biomassa é fundamental. Paralelamente, propõe-se a análise de dados dos 4 eixos do saneamento (água, esgoto, resíduos sólidos e drenagem urbana) dos municípios de Timóteo e Coronel Fabriciano, ante a comparação dos dados da média nacional. Tais informações são disponibilizadas no site do SNIS (Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento). Desta forma, os estudantes farão a abordagem sobre as reações químicas e biológicas que perpassam pelo sistema de tratamento em questão, bem como discorrer sobre as condições do saneamento básico de Timóteo e Coronel Fabriciano. O trabalho tem caráter multidisciplinar por envolver estudantes dos cursos técnicos de Química (disciplina de Microbiologia Industrial) e Edificações (disciplina de Saneamento Básico).

Palavras-chave


Esgoto. Microrganismos. Saneamento.