Portal de Administração de Conferências - CEFET-MG, 29ª Mostra Específica de Trabalhos e Aplicações

Tamanho da fonte: 
COLEÇÃO CULTURA INDÍGENA MARAJOARA
Júlia Andrade, Kamyla Cunha, Laura Dias, Vitória Alves, Yasmin Fernandes, Maria de Lourdes Couto Nogueira, Rodrigo Bessa

Última alteração: 2019-10-22

Resumo


Os prímórdios da cultura brasileira teve berço nos povos índigenas. Na era pré-colombiana já habitavam complexos nativos, como os Marajoaras. Esses viviam na Ilha de Marajó, no norte do país e deixaram muitos vestígios relevantes acerca de sua sociedade. Nessa perspectiva, surgiu a coleção “O que restou de Marajó?”. Para seu desenvolvimento foram realizadas pesquisas sobre os costumes sociais e artísticos desses indígenas. Tendo isso em mente, foram criados cem croquis comerciais (separados em quatro famílias) e cinco conceituais, os quais foram inspirados nos animais exóticos, nos vasos de cerâmica, nas cores utilizadas pelos marajoaras e em elementos naturais como a fauna, rios e a argila. Além disso, percebeu-se um grande descaso do órgão público no que tange a preservação da cultura brasileira e a falta de espaço e valor que a sociedade indígena vem enfrentando na atualidade. Exemplo disso é o incêndio do Museu Histórico Nacional, onde estava grande parte das memórias desse povo. O público alvo dessa coleção são as pessoas preocupadas com as questões socioculturais do Brasil e desconstruídas acerca de padrões estéticos impostos pelo mundo da moda. Assim, o estilo agênero foi o foco, já que as roupas precisam sintonizar com as personalidades do indivíduos.

Palavras-chave


Marajoara. Cultura. Criação.