Portal de Administração de Conferências - CEFET-MG, Seminário de Discentes dos Programas de Pós - Graduação Stricto Sensu

Tamanho da fonte: 
Como as Morfologias de Redes Influenciam o Índice do Mercado de Ações e a Distribuição de Riquezas em um Modelo de Finança Comportamental
Allbens Atman Picardi Faria, Fischer Stefan Meira

Última alteração: 2014-10-06

Resumo


Modelos que consideram Finança Comportamental para investidores têm se tornado um importante campo de estudo em Finança e Econofísica. Diferentes perfis comportamentais (imitador, anti-imitador, indiferente e misto) foram propostos para os investidores, que tomam suas decisões baseadas em sua rede confiável (vizinhança). Resultados de modelos baseado em agentes têm mostrado que a maioria das características observadas nos índices do mercado de ações podem ser replicadas em simulações. Apresentamos uma investigação deste modelo considerando diferentes morfologias de rede (regular, aleatória, mundo pequeno) para a rede confiável de investidores com objetivo de mostrar como a rede complexa influencia as flutuações do índice do mercado de ações e a distribuição de riqueza dos investidores. Estudamos o modelo considerando quatro cenários para os investidores. Diferentes condições iniciais foram aplicadas para analizar suas influências nas flutuações do mercado de ações e no total de dinheiro e ações depois de um período de compra e venda de ações. Caracterizamos o limite estacionário para cada cenário testado, focando nas mudanças introduzidas quando redes complexas foram usadas e calculamos o expoente de Hurst em alguns casos específicos. Considerando o comportamento psicológico dos investidores, resultados de simulações mostraram que o perfil de Anti-Imitação em uma rede complexa é o melhor cenário para se obter lucro.

Palavras-chave


Finança Comportamental. Modelo baseado em Agentes. Redes Complexas.