Portal de Administração de Conferências - CEFET-MG, X Semana de Ciência & Tecnologia 2014

Tamanho da fonte: 
Livrarias-editoras em Belo Horizonte: cenário contemporâneo e perspectivas
Ana Elisa Ribeiro, Sara Franck Gomes, Lorena C. Carmo Soares

Última alteração: 2014-08-19

Resumo


As primeiras livrarias na capital mineira datam do século XX, havendo registros de sua história e de transformações em suas formas de oferecer livros. Na atualidade, há “pequenas” livrarias que são também editoras, ou seja, participam de todos os processos do livro, desde a produção até a venda. Esta pesquisa teve o objetivo de conhecer as origens e a história de livrarias belo-horizontinas que se tornaram editoras, com atuação importante no cenário mineiro e mesmo nacional, nos anos que correm. As livrarias focalizadas foram Crisálida (de Oséias Ferraz), Scriptum (de Welbert Belfort) e Quixote (de Alencar), localizando-se a primeira no centro de Belo Horizonte e as duas últimas, na Savassi. Coletamos entrevistas com os editores-livreiros, a fim de registrar e sistematizar uma história dessas empresas, como e por que se tornaram editoras, o que esperar do futuro. Gravamos o áudio e transcrevemos os depoimentos, o que nos permitiu a análise e a comparação dos textos gerados, levando-nos à conclusão de que o empreendedorismo e a paixão são os principais ingredientes da resistência desses espaços na cidade, hoje, num cenário de grandes redes livreiras e vendas pela internet.

Palavras-chave


Livrarias. Pequenas editoras. Livrarias em Belo Horizonte