Portal de Administração de Conferências - CEFET-MG, X Semana de Ciência & Tecnologia 2014

Tamanho da fonte: 
Poéticas afro-brasileiras na literatura contemporânea: Visões e Vivências do Corpo
Ângela Vieira Campos, Júlia Vargas Batista

Última alteração: 2014-09-16

Resumo


O trabalho de pesquisaem questão propõe a investigação da produção literária realizada por poetas afrodescendentes. Nossa abordagem considera os poemas publicados por vários meios, ou seja, desde obras editadas por selos editoriais conhecidos, até livros publicados artesanalmente e mesmo as publicações na Web: portais, sites e blogs sobre a referida produção literária. Tal investigação considera, inicialmente, um corpus constituído por cinco autores a partir do qual são analisadas e evidenciadas a visão e a vivência do corpo nos poemas, utilizando-se o conceito de Poética da diversidade discutido por Edouard Glissant.Os autores brasileiros contemporâneos Cristiane  Sobral, Cuti e Adão Ventura buscam, por meio da poesia, a inscrição  social do corpo e a afirmação de sua identidade cultural num cenário em  que as discriminações racial e de gênero ainda se fazem muito presentes.  Essas poéticas apontam para o conceito de escrevivência, conceito  apresentado pela escritora mineira Conceição Evaristo ao se referir à  literatura, principalmente, à escrita marcada pela experiência do corpo  afrodescendente e de suas inúmeras referências ao contexto histórico e  social, refletindo as vivências dos próprios autores em sua criação  literária. Nas obras "Não vou mais lavar os pratos" (SOBRAL, 2011),  "Sanga" (CUTI, 2002) e "A cor da pele" (VENTURA, 1980), é possível  observar que as várias expressões do corpo constituem um símbolo de  resistência ao preconceito, não apenas no que se refere à cor, mas  também aos cabelos, aos traços fisionômicos, aos movimentos e aos ritmos  corpóreos os quais insistem em se conectar a outras realidades e a  construir identidades múltiplas e outros campos de força, tornando-seoutros sem deixar sua própria experiência.

Palavras-chave


CORPO POESIA DIVERSIDADE