Portal de Administração de Conferências - CEFET-MG, Seminário de Discentes dos Programas de Pós-Graduação Stricto Sensu

Tamanho da fonte: 
DIFICULDADES NO ENSINO E APRENDIZAGEM DE CONTEÚDOS DE QUÍMICA POR ESTUDANTES DEFICIENTES VISUAIS
Alexandre da Silva Ferry, Núbia Silva Schmidt

Última alteração: 2018-10-01

Resumo


Embora estudantes deficientes visuais (DVs) tenham o mesmo potencial de aprendizagem que estudantes videntes, ainda que haja obstáculos que dificultem a aprendizagem, pressupomos haver tópicos das ciências escolares para os quais estudantes DVs tenham maior dificuldade. Nesse contexto, o objetivo desse trabalho foi levantar os principais tópicos de conteúdo de Química para os quais estudantes DVs possuem dificuldades de aprendizagem. A pesquisa concentrou-se em um levantamento bibliográfico em periódicos qualificados (A1, A2, B1 e B2), vinculados as bases Scielo e Capes, publicados no período de 2008 a 2018, direcionados às dificuldades no ensino e aprendizagem de conteúdos de Química a estudantes DVs. Há um número expressivo de publicações sobre a dificuldade de aprendizagem por estudantes deficientes visuais, provavelmente em decorrência do caráter essencialmente abstrato dos conteúdos de Química. Entre os estudos que tivemos acesso, não encontramos sinalizações específicas de tópicos nos quais estudantes DVs teriam maior dificuldade para aprendizagem em relação aos estudantes videntes. Encontramos dados que indicam haver, entre os estudantes DVs, dificuldades associadas à construção de modelos mentais e elaboração de abstrações que dependem da articulação de ideias nos níveis microscópico, macroscópico e representacional.

Palavras-chave


Estudantes cegos. Aprendizagem. Ensino de química